domingo, 14 de agosto de 2016

QUEM É O DIABO?


Se alguém te pedisse para imaginar o diabo, provavelmente viria à mente um demônio com um tridente nas mãos. No entanto, por centenas de anos, o diabo cristão não foi retratado pela arte religiosa e, quando finalmente surgiu, era azul e não tinha chifres ou cascos. A imagem mais familiar para nós surgiu pelas mãos de gerações de artistas e escritores que pegaram o pouco que é dito pela Bíblia sobre Satanás e o reinventaram ao longo do tempo. A Bíblia diz que Satanás era o maior adversário de Deus. Na Bíblia judaica, o diabo é apenas outro agente subordinado a Deus, um anjo do mal, uma alegoria que simbolizava a inclinação maligna dos homens e mulheres. Esse personagem foi desenvolvido pelos cristãos até transformá-lo em uma representação da maldade suprema. Ou seja, o que era uma alegoria virou uma pessoa.

A doutrina cristã diz que Satanás assumiu a forma de uma serpente e tentou Eva no Jardim do Éden, mas não há nenhuma menção ao diabo no livro Gênesis. Foi só mais tarde que os cristãos interpretaram a serpente como uma encarnação de Satanás. Pois é, interpretação! Também acredita-se que Satanás foi expulso do céu após desafiar a autoridade de Deus. Porém, na Bíblia, um personagem misterioso é expulso após rebelar-se. A caracterização de Satanás como um anjo caído deriva dessa tradição. A imagem de um Satanás que governa o inferno e inflige tortura e castigo aos pecadores também não encontra correspondência no "texto sagrado". Apocalipse profetiza que Satanás será enviado ao inferno, mas sem qualquer status especial e sofrendo as mesmas torturas que os demais pecadores.

As faces do diabo
Nos primeiros séculos do Cristianismo, não havia muita necessidade de representar o mal na arte religiosa. Os cristãos acreditavam que os deuses pagãos rivais, eram demônios responsáveis por guerras, doenças e desastres naturais. Cem anos depois, quando o diabo apareceu na arte ocidental, algumas representações incorporaram os atributos físicos destes deuses, como o pelo facial e as patas de cabra.

O diabo medieval- Anos 1260
Na idade média, surgiu o retrato de Satanás mais reconhecível. Foi uma época de muito sofrimento, que ficou ainda pior com o surto de peste negra, a epidemia mais devastadora da história humana, com milhões de mortos na Europa. Como a Igreja não podia proteger os fiéis da doença, as representações de Satanás centraram-se nos horrores do inferno, refletindo o ânimo do momento e lembrando por que não se devia pecar.

Propaganda endiabrada - Anos 1530
Há uma longa tradição de associar o diabo aos inimigos do Cristianismo dentro e fora da Igreja. Quando ela se dividiu durante a Reforma, católicos e protestantes se acusaram mutuamente de estarem sob a influência do diabo com propagandas jocosas e grotescas sobre esta corrupção.

Feitiços e sedução - Anos 1500-1600
No início do período moderno, pessoas eram acusadas de fazer pactos com o diabo e praticar bruxaria. Satanás era frequentemente representado como um sedutor e se achava que as mulheres eram especialmente vulneráveis a seus encantos. Imagens mostravam mulheres em atos sexuais com o diabo, por elas serem consideradas o sexo frágil e mais propensas a caírem em pecado por serem incapazes de dominar seus desejos carnais. Se Satanás conseguia corromper o corpo feminino, era uma ameaça à segurança familiar, à santidade e até mesmo à fertilidade da comunidade.

Um diabo iluminado - Anos 1600-1800
Os escritores e pensadores iluministas reinterpretaram a história do diabo para que se ajustasse às preocupações políticas da época. John Milton descreveu um Lúcifer psicologicamente complexo no poema Paraíso Perdido, que conta a queda em desgraça de Satanás. Enquanto os textos religiosos anteriores haviam examinado a motivação de Satanás para condená-lo, o Lúcifer de Milton é um personagem atraente e solidário que encarna os sentimentos de rebeldia do republicanismo do século 17. Para alguns artistas românticos e iluministas, Satanás era um nobre rebelde que travava uma batalha contra a autoridade tirânica de Deus.

Animal político - Anos 1900-2000 
Quando a ciência conseguiu explicar a morte, as doenças e os desastres naturais, a figura do diabo ficou ameaçada. Havia lugar no mundo laico para Satanás? Foi quando um diabo urbano e sofisticado entrou em cena. Seguindo uma tradição de identificá-lo com inimigos políticos e religiosos, o diabo foi usado para ilustrar a oposição política por meio de caricaturas e sátiras. Além disso, Satanás encontrou seu lugar no mundo comercial, tornando-se sinônimo de excessos pecaminosos, aparecendo em propagandas para vender desde chocolate e champanhe, até carros de luxo.

Resumo
Diabo é puro delírio da mente humana. É tão real quanto a fada do dente, papai noel, coelho da pascoa e bicho papão. Sabe mais o que é fácil? Fazer algo de errado e botar a culpa no pobre diabo.

Fonte: BBC Brasil

14 comentários:

  1. Será que agora, você já entende o que é o livre-arbítrio?

    Se entende o que Deus te teu.
    Use corretamente.
    Mateus 12:37

    Atentamente
    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livre arbítrio: Uma das maiores farsas do cristianismo. Nem se quer há base bíblica pra isso.

      Excluir
    2. Não entendi.
      Farsa?!

      Então quem escolhe ou decide o caminho que eu sigo? - Mateus 7:13-14

      Sandra

      Excluir
  2. O modo de ação de Deus ou de Satanás é através das idéias. As idéias são apresentadas e o homem deve decidir qual delas irá seguir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos isso.
      Contudo há um conjunto de "forças" que empurram os homens para onde essas forças querem que eles vão.
      São muito poucos os que transcendem essas forças.

      Excluir
  3. O diabo é o pai do rock?como falava Raul Seixas?

    ResponderExcluir
  4. Ninguem tem livre arbitrio ,caso o fosse,todos aqui escolheriam ser bonitos e ricos saudáveis,e parece que não é isso que acontece,tamanha a acepção de pessoas que existe no mundo.Só o meu grupo é legalzinho,só nós somos nobres pessoas e portanto eu ofereço a todos o espelho da loucura.Loucura que torna cego o fanático religioso.
    Aí,ainda sou obrigado á ler ou escutar:Deus é justo,tudo é perfeito.
    Chega de mentiras gente,vamos parar de ser hipócritas,tudo isso é uma farsa.
    Observem a grande massa pútrida em que a humanidade e o planeta se encontra,e igualmente o que deveria ser.
    Tudo é uma questão de dominação e servidão,só quem almeja a liberdade alcança o voo.Quem é esclarecido sabe que as sociedades ocultistas é quem criaram as religiões,com o intuíto de gerar submissão e controle,e isso não quer dizer que num princípio não tenha sido bom,porém muitos mal intencionados entraram nesses lugares e os usaram para manipular a massa medrosa e renitente da liberdade,esperançosa em escapar do inferno.Um inferno criado por mentes doentias,ansiosos por serem torturados por suas imperfeições,sabem como se chama esse fenômeno no jargão policial:-sindrome de Estocolmo,que é quando a vítima refém começa á acreditar nas razões do sequestrador e passa e lhe dar apoio,é igual aquele fime(que não assisti,porém me informei sobre a sinapse):Cinquenta tons de cinza,...Em que a mulher casa-se com um ricaço que a cobre de coisas para a agradar porém mantem um relacionamento sado-masoquista com a mesma.e ainda tem gente no meu trabalho que adora a temática e pensa se submeteria-se ao jogo.
    Ai vem uma monte de tolo defender essas baboseiras religiosas,falando que deus precisa provar as pessoas e tudo o mais.Parem de mentir pessoal,existem talvez algumas outras explicações,porém muitos argumentos religiosos nunca me convenceram.´São só uma forma de mmascarar a grande realidade,ade que se existir um deus consciente,ele é o único e verdadeiro culpado por tudo,junto com sua corja de diabos,capetas e afins.Pimenta pra todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Aí,ainda sou obrigado á ler ou escutar:Deus é justo,tudo é perfeito.
      Chega de mentiras gente,vamos parar de ser hipócritas,tudo isso é uma farsa.
      Observem a grande massa pútrida em que a humanidade e o planeta se encontra,e igualmente o que deveria ser."

      Realmente se a criação e o criador é bom, como é que se chegou a isto!?
      Realmente parece haver muitas contradições, e a realidade trata de demonstrar o oposto do que parece não ser mais que retórica dogmática.

      Onde está a bondade numa criação pejada de incontáveis dores!?

      Vendem uma ideia que a realidade trata de desmascarar, contudo eles insistem que a realidade é que está equivocada e as teorias dogmáticas é que estão certas.

      Excluir
    2. Deus é espírito como Jesus disse,e sua dimensão não é esse, logo Ele não tem compromisso conosco enquanto seres carnais e sim após a morte. O deus que vc ta falando é Jeová, Jeová um deus de carne, este sim é um deus vingativo, que domina a humanidade.

      Excluir
  5. Realmente não parece existir livre arbítrio.
    As pessoas estão sujeitas a muitas forças invisíveis, que as "jogam" de um lado para o outro.

    ResponderExcluir
  6. Entendo haver um "arbitrio" condicionado...subordinado...ou limitado...um arbitrio interno sujeito a forças exteenas. Que está mais para uma "adaptação"...logo, há escolhas sim...limitadas, não livres...o passaro é livre para escolher em qual canto de gaiola quer pousar...

    ResponderExcluir
  7. A MAIOR ESTRATEGIA DE SATANAS E FAZER COM QUE A HUMANIDADE CREIA EM SUA NÃO EXISTENCIA, INFELIZMENTE PARECE QUE AQUI ELE LOGROU EXITO, QUE DEUS TENHA MISIRICORDIA DE TUA ALMA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que diferença faz acreditar em diabo? Não faz a menor diferença ficar com medinho... Demônio é invenção da igreja.

      Excluir
    2. Se satanás existisse como um ser espiritual, a sua maior estratégia seria ser cultuado e adorado por esses bandos de religiosos fanáticos !!!

      Excluir

Sobre Comentários: O que pode? Concordar, discordar, opiniões contra e a favor, compartilhar sites, links, vídeos, estudos científicos, religiosos e etc. O que não pode? Palavões, baixarias, ofensas de cunho pessoal e piadas.